Convento de São Pedro de Pedroso - Vila Nova de Gaia

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADPRT/MON/CVSPPVNG
Title type
Formal
Date range
1562-02-06 Date is certain to 1833-03-18 Date is certain
Dimension and support
Papel
Extents
48 Livros
Biography or history
Mosteiro fundado no século XI (a primeira documentação data de 1046) por Ederonio Alvitiz e sua mulher, Trastina Pinidiz, na paróquia de Pedroso, concelho de Vila Nova de Gaia, segundo as observâncias peninsulares.

Provavelmente resistiu durante algum tempo à adopção da regra de são Bento e das observâncias de Cluny, mas acabou por as aceitar, por volta de 1115-1120.

Recebeu carta de couto do Infante D. Afonso em 1128, a imunidade foi coincedida ao mosteiro, na pessoa do seu abade D. Martinho, e ao seu patrono, Dona Elvira Fernandes e co-herdeiros. Posteriormente, estes previlégios foram confirmados por D. Dinis (1323) e D. João I (1392).

Foi governado por abades comendatários desde o princípio do século XV até 1560, sendo o último o Cardeal D. Henrique, que anexou as rendas do mosteiro ao Colégio de Jesus de Coimbra.

A comunidade beneditina, porém, só desapareceu com a morte do último monge, o que aconteceu em vida de Frei Leão de São Tomás, segundo ele próprio testemunha. A companhia de Jesus manteve relegiosos no mosteiro encarregados da administração das rendas e dos serviço paroquial até à sua extinção em 1773, sendo depois os bens entregues à Fazenda da Universidade de Coimbra.
Geographic name
São Pedro de Pedroso - Vila Nova de Gaia
Legal status
A comunicabilidade dos documentos está sujeita ao regime geral dos arquivos e do património arquivístico (Decreto-Lei nº 16/93, de 23 de Janeiro)
Custodial history
Parte da documentação encontra-se dispersa pela Torre do Tombo e Arquivo da Universidade de Coimbra (depois da secularização dos bens dos Jesuítas parte dela foi transferida para o Cartório da Fazenda da Universidade de Coimbra; outra parte deu entrada na Torre do Tombo durante o século XIX).



Os livros de prazos 3 (1824-1832), 13 (1788), 23 (1778) e 47 (1788-1789) não deram entrada no Arquivo Distrital do Porto.
Acquisition information
Esta documentação veio transferida da Repartição de Finanças do Porto para este Arquivo, juntamente com os outros cartórios monásticos masculinos do distrito em 1934.
Scope and content
A documentação deste fundo abarca predominantemente uma grande área funcional: administração e gestão financeira.

Contém registos referentes a registos de prazos, vários livros de registos, de tombos e livros de notas.
Arrangement
Ordenado numericamente pela referência da unidade de instalação
Access restrictions
Unidades arquivísticas de acesso condicionado devido ao estado de conservação
Conditions governing use
A reprodução de documentos encontra-se sujeita a algumas restrições tendo em conta o número e tipo de documentos, o seu estado de conservação ou o fim a que se destina.
Language of the material
Por (português)
Physical characteristics and technical requirements
Documentação em estado regular
Other finding aid
DigitArq: base de dados de descrição arquivística.

Em 1993 foi publicado pelo Arquivo Distrital do Porto o Guia do Arquivo que esteve em uso até 2005, cumulativamente com a descrição disponível através da aplicação de descrição arquivística Arqbase.

Creation date
6/14/2012 12:00:00 AM
Last modification
1/9/2024 11:36:32 AM